quinta-feira, junho 01, 2006

Saramago podia vir viver para Aveiro

Pode ler-se o inacreditável no Diário Digital:

Saramago: Voluntarismo no estímulo à leitura é «inútil»
O prémio Nobel da Literatura José Saramago questionou quarta-feira a utilidade de o Estado dar «estímulos» à leitura, afirmando que «voluntarismos» não valem a pena numa área que «sempre foi e será coisa de uma minoria».

Num debate na Biblioteca Municipal de Oeiras, Saramago afirmou não saber «o que vai ser» o Plano Nacional de Leitura arquitectado pelo governo, referindo apenas que «há dinheiro para gastar», mas resta «esperar para ver que resultados vai ter».

«Não vale a pena o voluntarismo, é inútil, ler sempre foi e sempre será coisa de uma minoria. Não vamos exigir a todo o mundo a paixão pela leitura», afirmou, caracterizando o facto de pertencer à comissão de honra do plano como «uma fatalidade, como as bexigas», decorrente do seu estatuto como vencedor do prémio Nobel.

«O estímulo à leitura é uma coisa estranha, não deveria ter que haver outro estímulo além da necessidade de um instrumento que permita conhecer», opinou.

Diário Digital / Lusa