quinta-feira, março 23, 2006

Prescrição poética

"O Dia Mundial da Poesia não foi esquecido pela «A poesia está na rua», uma iniciativa da Câmara Municipal de Santo Tirso. Entre as diversas actividades, destaque para o lançamento do Poemax XR e a homenagem ao poeta Manuel António Pina.
«A poesia está na rua», iniciativa da Câmara Municipal de Santo Tirso, este ano sob o lema “A poesia faz bem à saúde” celebrou, ontem, o Dia Mundial da Poesia através da acção “24 horas de poesia”. Esta acção começou com o lançamento, anteontem, do livro «O teu nome», da autoria de António Joaquim Oliveira, e terminou ontem com uma homenagem ao poeta e escritor Manuel António Pina, no salão nobre da câmara. A homenagem contou com a apresentação do crítico e ensaísta Eduardo Prado Coelho, e a participação musical dos alunos da ARTEMAVE. Pelo meio, saliente-se o lançamento do Poemax XR, através dos delegados de propaganda poética, promovido junto dos médicos do Hospital de Santo Tirso. Ao fim da tarde, realizou-se, na biblioteca municipal, uma conferência com o tema «As virtudes terapêuticas da poesia», da responsabilidade do cardiologista João Lopes Gomes.

Pedrada no charco

Em jeito de balanço, Júlia Godinho, vereadora da Cultura da câmara municipal, classificou o resultado da iniciativa como “bastante positivo”, dada a “incrível adesão” verificada. “Tirar a poesia dos locais habituais como bibliotecas, livrarias, e fazê-la circular nas ruas, tornando-a parte do nosso quotidiano”, são os objectivos avançados pela vereadora.
António Joaquim Oliveira, classificou «A poesia está na rua» como uma “pedrada no charco”. E salientou que a iniciativa pretende demonstrar que “este mundo não é só feito de trabalho e bens materiais”.
Manuel António Pina, poeta e comentador, saudou a iniciativa da autarquia de Santo Tirso de “em tempo de OPA’s, existir uma câmara que aposta na gratuitidade da poesia”. “Independentemente da dimensão cultural, ela é relevante pela sua dimensão moral”, acrescentou. Em relação à homenagem, o poeta afirmou: “A palavra homenagem deixa-me constrangido”. No entanto, sublinhou o facto de esta poder ser uma forma de “chamar a atenção para a poesia contemporânea portuguesa”. “Tem sido essa a prática desta iniciativa”, concluiu.

Rui Almeida no Primeiro de Janeiro de 22 de Março de 2006