segunda-feira, fevereiro 06, 2006

Pode amar-se demasiado?


"Compreendo agora que estarei sempre de partida enquanto os humanos teimarem em escrever, enquanto os humanos empenharem as suas vidas para descobrirem o que não há, enquanto cedam ao sonho de encontrar o seu verso certo."

Para consumir com carácter de urgência no blog do Paulo José Miranda "Portugal existe, o Coração gasta-se". Para Ler devagar enquanto faz frio.