quarta-feira, junho 23, 2004

Giroflé, circulando

Aconteceu aqui na Praça da República

Giroflé, pela companhia Circulando.

.

Tradução de Giroflé

[do Lat. bellu]

que tem formosura, harmonia, perfeição; bonito, lindo;
que agrada aos olhos, que desperta agradavelmente os sentidos;
bem feito, bem acabado, bem construído;
esplêndido; magnífico; óptimo; excelente; importante; considerável;
que apraz à inteligência e ao coração como obra de arte;
generoso; elevado; nobre;
perfeição, o que eleva o espírito;
o que causa admiração e agrado;

Tudo isso e ainda algumas sombras a beijar a rua.

sexta-feira, junho 18, 2004

O que vai fazer neste fim de semana?

Qualquer pretexto servirá…

Pode aparecer por cá para beber um chá .
Pode lançar-se como um vento sobre a terra
ou encostar-se ao balcão para sussurrar poemas.
Pode tentar a sorte na aventura da caneta em riste
sobre a folha branca. Ou simplesmente atravessar
as portas e deixar-se estar,
a respirar o cheiro dos livros,
a escutar segredos de estante.

… mas venha!

domingo, junho 13, 2004

para que não nos devore o silêncio



“Quando um poeta morre cedo de mais e deixa a vida a arder nas mãos de quem fica, acontece isto: queima-nos a todos e todos são cada vez mais. É assim, por combustão progressiva, que crescem os mitos. Al Berto tinha os seus e sangrou-os vorazmente em tudo o que escreveu - em tudo o que viveu.”

Alexandra Lucas Coelho
Público, 11 de Janeiro de 1999


Hoje, às 21h30, alimentaremos a combustão.

sábado, junho 12, 2004

Hoje quando em alguns céus despontarem algumas estrelas,
chegaremos lentamente às palavras.


Num livro velho

Num livro velho - mais ou menos de há cem anos -
por entre as suas folhas esquecida,
encontrei uma aguarela sem assinatura.
Devia ser a obra de artista assaz forte.
Levava por título, «Apresentação do Amor».

Mas antes lhe convinha, «- do amor dos ultra estetas».

Pois era evidente quando se via a obra
(com facilidade se sentia a ideia do artista)
que para quantos amam um tanto higienicamente,
mantendo-se dentro do permitido de todas as maneiras,
não era destinado o adolescente
da pintura - com olhos castanhos de cor profunda;
com a beleza selecta do seu rosto,
a beleza das atracções perversas;
com os seus lábios ideais que levam
o prazer a um corpo amado;
com os seus membros ideais moldados para leitos
a que chama depravados a moral corrente.

Konstandinos Kavafis
Tradução de Joaquim Manuel Magalhães e Nikos Pratsinis
© Relógio d’ Água

sexta-feira, junho 11, 2004

Continuação do Fim do Mundo


Fotografia de Graça Sarsfield
in Vozes e Olhares no Feminino, Edições Afrontamento, Porto 2001

Este e outros poemas ... a partir das 21h00

Maria Andrade vai
à casa de banho
do aeroporto de Kinshasa
para rezar
precisa de agradecer
o encontro fortuito
com Túlio
como nas igrejas
em que entra
pela primeira vez
(é a primeira vez
que entra na casa de banho
do aeroporto de Kinshasa)
pede três graças
que mantém secretas
o Pai bate na testa
o Filho entre as maminhas
o Espírito na maminha esquerda
e o Santo na direita
às vezes o Espírito Santo
fica todo
na maminha esquerda
outras vezes o santo
fica no ar entre as maminhas
Maria Andrade
de joelhos
de mãos postas
reza
mas as maminhas interferem
com os antebraços
Maria Andrade
nunca viu nada escrito
sobre este assunto

A Continuação do Fim do Mundo, & etc, 1995