quarta-feira, agosto 02, 2006

"não se trata de ver Deus mas de tocá-lo"



"(...) uma obra de arte pode revelar um outro plano da existência, mas tens de aprender a ver, como na ilha, como a àgua e os pássaros e as rochas e as flores que crescem nas rochas."

Ana Teresa Pereira





'Siesta' de Pierre Bonnard

terça-feira, agosto 01, 2006

Procura-se este espectáculo


Num lugar longe de tudo, um quarto.
Um quarto de portas e janelas voltado para uma árvore.
Um quarto mínimo. Uma cama, uma mesa e um banco.
Um quarto com camadas de tempo e lembrança.
Lá dentro, alguém cumpre a função essencial de o habitar. Sonha.
Pelo sonho, transcende a geometria do quarto. As paredes movem-se.

Quarto interior. O quarto que está em nós.
O quarto onde somos nós connosco próprios.
O quarto onde mora o âmago do ser.






Aqui, vive-se a eterna luta entre a matéria e o sonho.
Sonho com o imenso, o ilimitado. Com um céu infinito e o voo dos pássaros.
Sonho com a liberdade. Com a paz dos anjos.
Sonho brutalmente interrompido por um corpo que sofre de ruína.
Um corpo que se quebra e vê as suas bases desfazerem-se em pó.
Um corpo feito de passado e de memória. De ausência e de saudade.
De tristeza e morte.
Um corpo que pertence à terra.

Ouço-me, amparo-me, descanso-me no quarto ninho.

O ninho, a toca, o ovo.
A casa do ser encolhido, do ser protegido.
A morada animal dos sonhos. Dos sonhos de ninho.
O quarto abre-se para os deixar passar.

O quarto cresceu. Encheu-se de ar. Abriu-se ao céu e às árvores.
Chegam os pássaros e com eles a felicidade da vida alada.
Inverte-se a curva do tempo.
É tempo de renascimentos.

Circolando

segunda-feira, julho 31, 2006

Férias na Livraria: saímos à procura.

















"Sei de uma bárbara regiao cujos bibliotecários repudiam o vão e supersticioso costume de procurar sentido nos livros e o equiparam ao de procurá-lo nos sonhos ou nas linhas caóticas da mão..." Borges

de 29 de Julho até 15 de Agosto

sábado, julho 15, 2006

Festa a sério





quarta-feira, julho 12, 2006

Hoje festejamos: faltam 97 anos para o centenário


















Vem à festa ou vai ficar em casa?

sábado, julho 08, 2006

Hoje, Sábado no Mercado Negro

da ternura







































Mais uma vez a Patrícia disse baixinho com olhos de viajar: mil e uma noites. Mais uma vez, vontade de ficar com ela, essas noites ou mais.

sexta-feira, julho 07, 2006

Hoje há Serão de Escutar



Sim, desta vez está tudo trocado!
A já célebre “sexta-feira de contos na Livraria” não é na Livraria!
As histórias de mar, mouras e amendoeiras, excepcionalmente, são na sala vermelha do Mercado Negro!

E mais: tem que vir encher o coração de contos, porque os serões só regressam em Setembro – no dia e lugar de sempre!

quinta-feira, julho 06, 2006

Aveiro

Barcelona